Once upon a Dream

A 15 de Agosto de 2015 nasceram os nossos filhos.
E a nossa vida transformou-se num turbilhão de sentimentos.
O medo de perder um bebé, ou mesmo os dois, demasiado tempo de internamentos e sobressaltos, demasiadas lágrimas, gritos, abraços, loucura e ternura… demasiados corações à espera de salvação, os deles… e os nossos, a sofrer por eles.

Um ano depois, a 15 de Agosto de 2016, eu e o pai, decidimos celebrar um dia de conquistas, não só por eles, mas também realizando o nosso sonhado casamento …
de surpresa…


Os pouquíssimos convidados foram cerca de 30. Apenas mesmo a família amiga e os amigos família. E chegados para um aniversário, foram surpreendidos com uma notária, um violino e um vestido de noiva que fizeram juntar as peças.

O local da cerimónia não podia ser mais bonito do que foi. Uma clareira no nosso bosque sob o leito do rio, que é gigante de Inverno, mas ribeiro de Verão, para que nele pudéssemos casar.

Casámos sob uma velha, velha árvore cuja história, a avaliar pelos seus ramos, tem tanto de derrotas, com acabados galhos pendendo no chão, como de glória, com a sua altivez a tocar os raios de sol. Mas toda ela sobrevivente, una e bela. Como a nossa história.


Casámos às 4h da tarde, ainda salpintados de tinta das múltiplas bricolages feitas até de madrugada e até ao último minuto. Tudo feito por nós, como sempre. Casámos cansados de muitos meses sem dormir, de muitos medos.
Mas casámos enamorados, seguros, felizes.


Felizes com uma tripla celebração muito, muito desejadas. O 1º aniversário de cada um dos nossos meninos gémeos e o nosso desejado enlace a entrelaçar para sempre 4 corações. Muito frágeis. Muito fortes.




O jardim da nossa Azenha cumpriu a recepção dos amigos.
Reenfeitado à pressa, depois de 1 ano em esquecimento. Mas belo como sempre.


Não pode haver melhor recomeço destas crónicas, do que este dia tão único e tão acarinhado, que embeleza ainda mais a história da nossa Azenha… e as nossas vidas.




The Dream Wedding

The Dream 1st Birthday

Um dia de sonho e amor.

Fotografias: Luís Azevedo
Vestido de noiva: Estilista desconhecido (comprado em 2ª mão por 50 dólares 🙂 )
Decoração – Azenha Dream Parties (ou seja nós :))
Bolos: Lígia Fonseca (prima)
Banda de jazz – Músicos de Rua –  fantásticos 🙂
Cenários: Mãe Natureza, sempre bela

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

Advertisements

Os primeiros 12 meses

… já não é novidade que eu adoro a fantasia.
Que adoro fotografia e que tenho imaginação de sobra…
Acrescentem-lhe 2 bebés… e a criatividade não conhece limites!

Estas são as sessões mensais do primeiro ano dos meus pequeninos lindos.

O 1º mês foi difícil – um bebé em casa, outro ainda na incubadora…
Por isso, teve de se aplicar o pior photoshop style do mundo 🙂

H 1 mês 0

O 2º mês foi ainda mais difícil. Subitamente, tinha os dois internados, um em cada hospital. Mas não me deixei ir abaixo. Fotografei ambos à vez, retomei a tentativa falhada de photoshop e continuei a acreditar que em algum mês eu iria ter a sorte de ter os dois em casa.

H 2 meses 0

Ao 3º mês, já quase com 4 meses, o sonho realizou-se. O Outono já recebeu ambos os bebés em casa, para a sessão dos 3 meses. A felicidade foi tanta.

H 3 meses 0

O 4º mês já foi a junção de toda a magia. Natal… e uns filhos gémeos… Feliz, feliz, feliz…

H 4 meses 0

5º mês – Uma sessão de Inverno para o mês de Janeiro. Ainda cirurgias a decorrer, e muita preocupação. mas a normalidade fantasiosa destas fotos sempre a dar força para acreditar no mês seguinte.

Versão 2

6 meses e o amor sempre a crescer. Os meus cupidos em modo S. Valentim.

H 6 meses 0

7 meses – A Páscoa a acontecer e eles a crescer 🙂

H 7 meses 0

8 meses – Primavera por toda a azenha.

H 8 meses 0

9 meses – Festa da Música na cidade e o mês de Maio – mês em que os pais (músicos) se apaixonaram. E eles a colocarem-se em pé.

H 9 meses 0

10 meses – As marchas de Lisboa e os meus dois fanfarrões na marcha da Azenha.

H 10 meses 0

11 meses – o Verão a chegar e o tempo de descobrir a praia.

H 11 meses 0

12 meses – a junção dos brinquedos favoritos, dados pelas pessoas que os amam e que os ajudaram a descobrir muitas coisas.H 12 meses 0

Fazer as coisas que tinha planeado antes das doenças e dos internamentos era a minha forma de levar a vida em frente, de alguma forma normal. A minha maneira de não desistir.
E hoje… hoje fico muito feliz por ter conseguido isso e olhar para estas memórias maravilhosas, que espero também eles, venham a gostar (quando tiverem 40s… :P).

As Papinhas

2016

Hoje resolvi falar-vos um pouco das papinhas deles. Sem carne e sem peixe. Vegetarianas.
Aqui vão algumas ideias e as imagens (que valem mais que mil palavras).

As Sopas

Cor e variedade é o segredo. Legumes muitos, alguns até então desconhecidos, e couves muito diversas, a que se juntam as leguminosas (demolhadas e cozidas em casa).
Algumas coisas congelo (por 3 meses no máximo).
Para que, mesmo quando não há tempo, todos os dias comam legumes e leguminosas diferentes, sem a chatice de cozer diariamente ou recorrer aos congelados de supermercado ou às latas pouco saudáveis.
Mesmo para levar em viagem, é só colocar alguns cubos em frasquinhos de vidro e juntar água. Todos os dias as combinações são diferentes e a comida é caseira.
E assim consigo ter uma sopa diferente a cada refeição e colmatar quaisquer necessidades nutricionais.

As Papas

Por aqui, as papas de pacote e os boiões de fruta só entram em estado de grande emergência.
É sempre tudo caseiro, sem açúcar e faz-se rapidinho.
Coze-se a farinha ou os flocos (que são sempre de cereais ou pseudo-cereais diferentes), junta-se a fruta, esmagada crua ou cozida junto com a papa, e por fim acrescenta-se o leite em pó de fórmula (ou o leite materno para quem tem)

Comer saudávelmente não é complicado e por aqui, há um orgulho muito grande em saber que lhes criamos bons hábitos alimentares nos primeiros anos de vida, como é suposto fazermos, como pais responsáveis.